sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Conteúdo e Metodologia da Matemática


Em nossas aulas de Conteúdo e Metodologia da Matemática com a professora Judite fomos levadas a refletir sobre as ações dos professores ao trabalhar com essa matéria que envolve tantos mitos e medos. Nela refletimos sobre o conteúdo, a forma com que é passado, os materiais que são utilizados, a metodologia do professor, a forma com que avaliam e, principalmente, o quanto e no que evoluímos ao longo de vários anos trabalhando com a matemática.

Nesse trabalho podemos refletir, um pouco, sobre essa evolução...


Reflexão sobre o ensino da matemática
A matemática está em constante desenvolvimento, e é preciso que a educação acompanhe esse desenvolvimento, pois somente assim desmestificaremos-a e conseguiremos mostrar que a matemática não é esse “bicho de sete cabeças” que os alunos pensam, que o que esta faltando é uma boa metodologia quando a ensinamos, para que a aprendizagem seja significativa e motivadora.
Há grandes diferenças com relação ao ensino da matemática de antigamente e da atual, mas esse ensino de antigamente, que chamamos de tradicional, infelizmente ocorre até hoje em muitas escolas do nosso país. Então me referirei a antiga como Tradicional, e a atual como Escola Nova.
Na Escola Tradicional, a aula é expositiva, onde o professor simplesmente passa a matéria e o aluno copia; o professor é o centro, ele é quem define o que é e o que não é importante na disciplina, sem se preocupar com o interesse dos alunos; não integra a matemática com outras matérias, dificultando a contextualização do conteúdo; há a repetição dos exercícios e não o entendimento; há a memorização dos conteúdos e das fórmulas, o aluno não sabe o como vai aplicar aquilo, nem o porque e nem para que esta aprendendo tais conteúdos; não se usa as experiências dos alunos e nem os faz vivenciar; não os estimula, não os motiva, não os desafia; não se dá a oportunidade dos alunos criarem, somente copiam; o professor acredita que a quantidade de exercícios que os fará aprender, e principalmente não aproveita-se o interesse e a curiosidade dos alunos.
Na Escola Nova, o professor é um orientador, mediador do conhecimento, auxilia na construção dele; utiliza situações do contexto do aluno, o que é importante, pois assim a aprendizagem será significativa, pois os alunos vivenciam o que aprendem, além de valorizar os diferentes grupos culturais; os professores criam situações para que haja a aprendizagem; as atividades são lúdicas e usam matérias concretos, como jogos, o que motiva e estimula ; as diversas áreas da matemática são trabalhadas relacionadas, e integram as disciplinas; os alunos trabalham de forma coletiva, um cooperando com o outro, assim trocaram ideias; a resolução de situações-problemas é utilizada como proposta metodológica, o que facilita o entendimento e a interpretação, pois esta incluída em seu cotidiano; usa-se modelos para que o aluno visualize o que esta estudando, conscientizando do conteúdo; usa-se a tecnologia para auxiliar no desenvolvimento, como o LOGO ( programa de computador com linguagem fácil e educativa); e trabalha-se com a curiosidade e o interesse do aluno para fazer com que ele explore de forma mais ampla o conteúdo.
Tanto um ensino quanto o outro tem pontos positivos e negativos, mas precisamos nos lembrar que trabalhar com a Escola Nova nos demanda de maior disponibilidade e tempo, o que não é, na grande maioria, a realidade atual dos professores. Outro ponto que ocorre é a falta de recursos disponíveis para algumas áreas do país, pois nem todos os locais tem recursos, sejam financeiros ou até mesmo de conhecimento para emplementar tal método. Muitos locais também não investem na atualização de seus profissionais, o que dificulta que eles façam cursos, pois com a desvalorização do professor, cada vez mais é preciso que peguemos mais trabalhos para conseguir termos um salário digno, mesmo que com isso, muitas vezes, trabalhemos os três turnos, ficando assim com o tempo restrito para maiores investimentos em nossa formação e em nossa atualização.
Acredito que o ponto positivo do ensino da matemática na Escola Tradicional seja o fato de um maior número de exercícios, apesar de acreditar que esses exercícios devem ser entendidos e não mecanizados; e os pontos negativos, são o fato de o professor não utilizar as experiências dos alunos, não trabalhar com matérias concretos, somente com copias e exercícios no caderno e o fato da memorização do conteúdo.
Já na Escola Nova, os pontos positivos são que utiliza-se as experiências do aluno, contextualizando o conteúdo, ter o professor com mediador e não o professor impondo o conteúdo a ser aprendido, e o fato de criarem e explorarem situações-problemas para que os alunos aprendam com maior facilidade; e os pontos negativos, são que nem todos tem recursos para adquirir tais matérias para esse trabalho e nem todos os alunos entendem essa maneira de trabalhar, acreditando que por construir o conhecimento e por ser de forma mais lúdica, que o trabalho é brincadeira, o que não é.
No meu ponto de vista, o que devemos fazer é utilizar o que nos acrescente no trabalho em ensinar e educar nossos alunos, pois acredito que unindo e utilizando o melhor dos dois ensinos estaremos formando uma metodologia que auxiliará na aprendizagem significativa, sem esquecer de observar a realidade dos nossos alunos, e utilizar materiais concretos e as experiências dos alunos. Assim teremos aulas de matemática mais prazerosas e interessantes, e que ao mesmo tempo não assustam o alunos, quebrando esse medo que a maioria dos alunos tem dessa matéria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário